Produtos para revenda em consignação: o que você precisa saber

Produtos para revenda em consignação: o que você precisa saber

Fatores como o desemprego ou qualquer outra crise financeira no ambiente familiar costumam ter impacto direto no setor de venda direta.

Isso acontece pois as pessoas ficam incomodadas com a situação e tendem a buscar alternativas para ganhar um dinheiro extra. Dessa forma, a revenda de produtos surge como uma opção viável para quem busca complementar sua renda mensal.

No artigo de hoje, mostraremos algumas informações que você precisa saber sobre produtos para revenda em consignação. Continue a leitura e confira!

Como trabalhar com produtos para revenda em consignação?

A revenda em consignação é, basicamente, um procedimento em que a empresa fornecedora deixa suas mercadorias sob a responsabilidade de uma revendedora, a fim de que sejam expostas para um determinado público.

A revendedora se responsabilizará pela venda dos produtos e, a cada item vendido, receberá uma comissão (previamente acordada).

Vale ressaltar, ainda, que a empresa deixa seus produtos com a revendedora a custo zero, permitindo que os itens não vendidos sejam devolvidos para que não ocorram prejuízos para nenhuma das partes envolvidas.

O grande trunfo do sistema de consignação é que, ao contrário do que acontece na revenda por catálogo, os consumidores podem ver, tocar e provar produtos como lingeries, semijoias, roupas e calçados. A possibilidade da pessoa experimentar o artigo e ver como ele, de fato, ficará em seu corpo, aumenta significativamente as chances da venda ser concretizada.

A armadilha da revenda consignada com “investimento zero”

Muitas empresas utilizam o termo de efeito “investimento zero” para atrair mais pessoas para trabalharem com produtos para revenda em consignação.

Entretanto, é preciso ressaltar que isso é um equívoco, pois essa modalidade demanda despesas como qualquer outro negócio.

Por exemplo, imagine que você resolve fazer um evento do tipo “bazar das amigas” para promover e vender seus produtos. Você deverá investir algum dinheiro com comes e bebes e, muitas vezes, pagar uma taxa de aluguel do local escolhido.

Além disso, um orçamento para a propaganda dos produtos também deve ser considerado. Afinal, apesar da internet ajudar bastante na divulgação (e de forma gratuita), é muito difícil alcançar bons resultados sem comprar anúncios no Facebook ou Google, por exemplo.

Portanto, fica a dica. Mesmo sem precisar comprar as mercadorias, tenha em mente que você terá custos ao trabalhar com produtos para revenda em consignação.

Tudo que vem fácil, vai fácil

O fato da revenda em consignação não demandar um aporte financeiro inicial, geralmente, causa um certo comodismo que leva a revendedora a não se dedicar de verdade.

Em geral, não valorizamos aquilo que vem “fácil” e o fato de praticamente não haver risco nesse empreendimento leva muitas pessoas a relaxarem e colocarem menor energia no negócio. Isso acaba gerando um desgaste com a empresa fornecedora, que não vai querer mais disponibilizar os produtos para aquela revendedora.

Nesse sentido, o comprometimento das revendedoras que compram as mercadorias para revenda é muito maior do que o das que trabalham em consignação, já que elas precisam do retorno para suprir o investimento já feito e conseguir lucrar.

Além disso, vale ressaltar que, na grande maioria dos casos, a lucratividade de quem compra produtos no atacado para revender é maior do que quem trabalha com a revenda consignada.

Conclusão

Para quem está começando, a consignação pode ser uma boa opção, afinal, a revendedora está com muito ânimo e sem tanto capital disponível.

Mas quando ela estiver mais experiente e quiser expandir suas vendas para obter mais lucro, a ideia de comprar produtos para revender pode ser a melhor estratégia.

Falando nisso, você já conhece a Linda Bela? Lá você encontra semijoias de qualidade e bom gosto, no atacado! Está esperando o quê?

 


Comentários