6 opções de marcas para revender

Quais são as melhores marcas para revender?

À decisão de se tornar uma revendedora segue de imediato a seguinte dúvida: quais são as melhores marcas para revender? Não se trata de um dilema qualquer, considerando que o seu êxito na carreira depende em grande medida dos produtos que decidirá oferecer:

Será que terão boa aceitação pela clientela? Possuem conceito no mercado? Oferecem uma razoável margem de lucro? E a política de trocas, funciona como deve?

Como se vê, uma única questão abre as portas para todo um universo de dúvidas, expectativas e preocupações. Afinal, a menos que você decidiu entrar no ramo da revenda apenas ocupar o tempo ocioso, é do seu futuro profissional que estamos falando.

Sim, é possível pagar as contas e constituir renda fazendo a chamada venda direta — que também envolve planejamento, entusiasmo e muito poder de comunicação para funcionar.

Mas tudo começa com a escolha daquele que vai ser o seu catálogo, o seu mostruário. E que vai, de certa forma, compor a sua identidade comercial: “Aí vem a moça da marca X”. Ou: “Conhece? É aquela que vende Y”. É, ser revendedora é ser um pouco garota-propaganda. E é também compartilhar os méritos e as conquistas da empresa que resolver representar.

Por isso, nada melhor do que conhecer as opções do mercado. E elas são muitas — e não se resumem, como muita gente pode pensar, a cosméticos. Realmente, essa indústria é forte no segmento, além de ser uma das mais tradicionais. Porém, existem outras mercadorias — o que pode, inclusive, diversificar a sua pauta de produtos, promovendo a chamada venda casada, que é uma boa forma de aumentar a lucratividade.

Bem, sem nos alongarmos mais nesta introdução, vamos logo apresentar as principais players do mercado. Depois de saber um pouco mais sobre cada uma, você poderá responder, com maior segurança, a esta crucial pergunta: quais as melhores marcas para revender? Siga o fio.

1. Avon

Avon é quase sinônimo de venda direta. Bastou pensar no assunto e você já associa com a empresa norte-americana, seus livrinhos repletos de utilidades e aqueles perfumes em vidros canelados do tempo das nossas avós. “Avon chama”, quem nunca ouviu o bordão?

Realmente, estamos falando da mais tradicional revenda em atividade no Brasil. Ela chegou por aqui em 1958 e, hoje, passa de 1 milhão de revendedoras correndo o país comercializando roupas, calçados, produtos de higiene, cosméticos, utilidades domésticas e até livros através dos catálogos da Avon.

De acordo com o site, a margem de lucro, para uma venda de R$ 110, é de 20% nos produtos de beleza (15% nos demais). Ainda é possível criar uma loja virtual: estoque, pagamento e venda ficam por conta da marca. Saiba mais aqui.

2. Natura

Marca fortemente associada com ações de responsabilidade social, a Natura tem DNA nacional: surgiu em São Paulo no final da década de 1960 como uma pequena fábrica de cosméticos. Hoje, aparece como a maior multinacional brasileira do setor — inclusive, em 2020, a Natura adquiriu nada menos do que a Avon, consolidando-se como o quarto maior grupo de beleza do mundo (que inclui ainda The Body Shop e Aesop). Não é pouca coisa.

Para se tornar consultora da Natura, basta seguir os passos no site. Assim como a Avon, pode-se fazer as vendas da forma tradicional ou através da internet. O catálogo de produtos é reconhecido e de considerável valor agregado. A margem de lucro, dependendo da sua jornada dentro do plano de negócios da empresa, pode chegar a 35%. Aqui você pode saber dos detalhes.

3. O Boticário

Quase uma década depois que Antônio Seabra iniciou sua fabriqueta em São Paulo, um certo Miguel Krigsner abria as portas de uma minúscula farmácia de manipulação em Curitiba, no Paraná. Não demorou para ele perceber que sua paixão era produzir cosméticos e, mais de 40 anos depois, temos O Boticário, holding que investe em lojas físicas, comércio eletrônico (adquiriu em 2019 o site Beleza na Web, um dos líderes do segmento de cosméticos na internet) e, claro, venda direta.

O catálogo de produtos inclui linhas de cuidados com o corpo, maquiagem e perfumaria. Entre as marcas que comercializa, destaque para o trio Nativa Spa, Cuide-se Bem e Make B. A margem de lucro média é de 15% (podendo chegar a 30%) e a revendedora adquire um kit com os principais produtos para começar. O investimento inicial mínimo é de R$ 200. Clique aqui e saiba mais.

4. Eudora

Mais uma representante do segmento de beleza e perfumaria, a Eudora entrou no mercado em 2011. Com um catálogo com mais de mil produtos e atuação em diversos canais de vendas, é a segunda maior marca do Grupo Boticário, desempenho que obteve após promover uma mudança radical em seu perfil.

Quando surgiu, a Eudora fazia o gênero sexy, como se fosse uma Victoria’s Secret tupiniquim. Essa identificação afugentava o público, que acreditava se tratar de uma marca cara. A empresa então decidiu fechar algumas lojas e reforçar a revenda. E o mais importante: apostou as fichas em um público mais maduro e de diferentes classes sociais. Bingo! As vendas começaram a subir.

Com valor de pedido mínimo de R$ 220 (nos canais virtuais; nos Espaços da Representante, o valor é de R$ 104,93) para começar, a empresa promete ao menos 30% de lucro nas vendas. Clique aqui e cadastre-se.

5. DeMillus

Saindo do ramo dos cosméticos, temos a DeMillus, empresa criada em 1947 e líder no segmento de lingerie no Brasil. Inclusive, segundo uma pesquisa de 2013, divulgada pelo site da companhia, é a mais lembrada pelas consumidoras quando o assunto é sutiã. Boa parte dessa popularidade, naturalmente, reside no trabalho das revendedoras da marca: são mais de 200 mil representantes comercializando produtos de seu catálogo país afora.

Tamanha aceitação e a própria natureza dos artigos da DeMillus (moda íntima), tornam a marca uma ótima opção de revenda, especialmente se você deseja diversificar e promover a venda casada. Para começar, cadastre-se aqui.

6. Linda Bela

A Linda Bela apostamos que você já conhece (afinal, está aqui no blog)! Trata-se de uma loja on-line de semijoias (acessórios folheados a ouro: brincos, anéis, colares e pulseiras) e oferece um portfólio reconhecido pela qualidade dos produtos e pelo cuidado com o pós-venda.

É possível adquirir produtos no atacado para revender. O pedido mínimo é de R$ 300, que pode ser pago em três parcelas sem juros, com frete grátis para todo o Brasil em compras a partir de R$ 600. A margem de lucro é de 50%.

Novamente, a opção de diversificação torna a revenda de semijoias um negócio atraente. Porém, mesmo quem prefere concentrar os esforços em um único segmento tem motivos de sobra para apostar nesse segmento: a aceitação é enorme e permite iniciar as vendas em seu círculo familiar e de amigas.

Quem não se derrete por um par de brincos novo, um anel para usar com a aliança ou um pingente bonito? Pois é. Então, não perca tempo: clique aqui e confira.

7. Tupperware

Temos aqui mais um segmento diverso ao dos tradicionais cosméticos: o de utilidades para o lar. Falamos da Tupperware, empresa norte-americana nascida nos anos 1940, resultado dos esforços de seu fundador, Earl Tupper, para encontrar um material plástico, flexível e inquebrável. Oitenta anos depois, a marca se tornou líder global em produtos para acondicionar, preparar e servir alimentos. Virou praticamente sinônimo de pote plástico para comida.

No Brasil, já são mais de 40 anos em atividade. Para atrair novas consultoras, a Tupperware possui um plano de carreira que inclui rendimentos de até 100% (segundo condições específicas de dedicação e tempo dispensado), viagens e treinamento gratuito. Para saber tudo em detalhes, clique aqui.

8. Jequiti

A Jequiti é uma marca de cosméticos ligada ao Grupo Silvio Santos que tem seus negócios exclusivamente baseados na venda direta e nos canais on-line. Criada em 2006, ela já responde por quase 10% do mercado de produtos de beleza, sendo a segunda empresa mais lucrativa do dono do SBT (o canal de tevê continua sendo o primeiro).

Para atrair mais consultoras ao seu time, a Jequiti também apresenta uma série de vantagens, como margem de lucro de 30 a 100%, entregas sem custo e até participar na tevê de um dos programas de prêmios do “Patrão”. Interessou? Veja mais informações aqui.

9. Mary Kay

A Mary Kay, empresa multinacional de cosméticos, tem um perfil institucional fortemente identificado com o empreendedorismo e empoderamento feminino. Foi fundada em Dallas (EUA) em 1963 por Mary Kay Ash, com a ajuda de nove consultoras independentes, e atualmente é uma das grandes do segmento, ao aliar qualidade de produtos com preços acessíveis.

Além disso, a Mary Kay tem um jeito peculiar de incentivar a sua legião de revendedoras: ela promove regularmente o programa “Troféu sobre Rodas”, que premia com um veículo cor-de-rosa suas campeãs de vendas. Além de ser um baita estímulo, a estratégia auxilia no reconhecimento da marca, visto que todas sabem que se trata do “carro rosa” da MK.

Já pensou você dirigindo esse carrão? Dê uma olhada aqui.

10. Jeunesse

“Somos apaixonados por redefinir a juventude por meio de produtos revolucionários”. Esse é o lema da Jeunesse, empresa norte-americana de marketing de rede que comercializa soluções rejuvenescedoras em nível global. Suas duas linhas de atuação são os cosméticos para cuidado com a pele e produtos para nutrição.

Considerada uma marca de luxo, a Jeunesse no Brasil tem se dedicado a tornar seus produtos mais acessíveis, aumentando sua fatia no mercado nacional. Já seus negócios são estruturados através de uma rede de distribuidores, que são responsáveis por abastecer os canais de venda on-line. Para saber como funciona, clique aqui.

11. Hinode

Quer diversificar a sua carteira de produtos na área de perfumaria e cosméticos? Temos a Hinode como opção. O grupo brasileiro, com atuação em outros países da América Latina, aposta no marketing multinível (modelo no qual o consultor ganha tanto na venda quanto na indicação de novos vendedores) e atua com rede de franquias e venda direta.

O rol de produtos inclui cerca de 600 itens, com foco no cuidado com o corpo, higiene e beleza. Uma curiosidade: a Hinode busca atrair não somente consultoras, mas consultores. As vantagens incluem prêmios (uma BMW, inclusive) e viagens, além de treinamento proporcionado pela Universidade Hinode. Mais aqui.

12. Amway

Talvez você nunca tenha ouvido falar da Amway, mas a companhia norte-americana está na pista desde 1959. No Brasil, já se vão quase 30 anos de atuação. Aliás, ela se intitula a maior empresa de vendas diretas do mundo. Portanto, tem cacife para bancar suas mais de 200 mil consultoras com uma dúzia de marcas, que incluem produtos de beleza, nutrição, cuidados pessoais e soluções domésticas.

Para quem se dispõe a entrar no time, a margem de lucro é de 43%, segundo a Amway. Indicar novos parceiros também rende dividendos. Aqui você tem os detalhes.

Quer conhecer ainda mais marcas para revender? No site da Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (Abevd), você tem ainda mais opções de segmentos para estruturar uma operação de vendas baseada em produtos reconhecidos. As citadas acima, porém, estão entre as mais queridas pelas clientes — o que já é um empurrão e tanto.

De qualquer maneira, nunca é demais lembrar: uma revenda de sucesso exige determinação, foco e planejamento. Mesmo que você tenha somente algumas horas do dia disponíveis para executar o trabalho, programe-se da melhor maneira possível para fazer o tempo jogar a seu favor e não perca jamais o controle das finanças.

Antes de começar a extrair lucro, pense nos custos e garanta os investimentos. E, claro, baseie seus negócios na confiança e responsabilidade com suas clientes — além de ter na bolsa as melhores marcas para revender. E boa sorte!

Falando em empurrar (no bom sentido, lógico!), não poderíamos deixar de fazer o convite: venha ser uma revendedora da Linda Bela! Se tem paixão por semijoias (e quem não tem?) e acha mais garantido iniciar o negócio com uma perspectiva de lucro certa, essa revenda é para você. Clique aqui e seja bem-vinda ao clube!

 


Artigo publicado originalmente em outubro de 2017 e atualizado em março de 2021 pela equipe da Linda Bela.


Comentários