Quais são os dons do Espírito Santo?

Quais são os dons do Espírito Santo?

Alguns momentos são tão cruciais na vida da gente que uma ajuda de cima se faz necessária. É uma mudança repentina, uma decisão importante, um investimento de risco: “Só Jesus na causa”, como se diz hoje em dia.

O que talvez você não saiba é que uma centelha divina já está operando aí dentro. Chame de intuição, bússola moral, o que for — mas pode chamar também de dons do Espírito Santo.

Nunca ouviu falar nem sabe quais são os dons do Espírito Santo? Você não é a única. Afinal, as aulas de catecismo estão a quase uma vida de distância, não é verdade?

Sendo assim, talvez não lembre que, ao receber o batismo, a pessoa é agraciada com uma série de faculdades conferidas pelo Espírito de Deus. Alguns estudiosos da Bíblia e correntes religiosas divergem quanto ao número dessas faculdades — ou dons. Para alguns, são nove. A tradição, entretanto, consagrou o número sete.

O objetivo desses dons (também chamados “carismas”) é ajudar a pessoa a caminhar segundo os preceitos da Bíblia, de maneira que possa alcançar um estado de virtude e perfeição cristã: agir com moderação, respeito e integridade, exercitando o amor e a caridade.

Portanto, se você quiser conduzir sua vida de uma maneira mais espiritualizada, convém saber quais são os dons do Espírito Santo. Abaixo, você conhece os sete mais populares:

1. Ciência

O dom da ciência não está exatamente relacionado à maneira como entendemos essa palavra hoje em dia (conhecimento objetivo de algo obtido por meio de experimentação), mas, sim, como um filtro que conduz o conhecimento humano sob a ótica divina.

Para muitos, essa faculdade explica como algumas pessoas sem muita instrução conseguem ter uma compreensão das Escrituras bastante aprofundada. É o dom que capacita o fiel a levar adiante a palavra do Senhor.

Em uma perspectiva menos missionária, podemos entender o dom da ciência como um “tônico” que amplifica a nossa capacidade de apreensão das coisas e permite que alcancemos o pleno potencial de nossas habilidades técnicas ou artísticas.

Só não devemos esquecer, todavia, de dar créditos a Deus por esses talentos.

2. Entendimento (inteligência)

Novamente, é preciso fazer uma distinção entre o sentido comum da palavra “inteligência” e a maneira pela qual ela se configura como dom do Espírito Santo.

No primeiro caso, sabemos que uma pessoa inteligente apresenta um conhecimento amplo sobre muitas áreas e um intelecto apurado. “É um ‘crânio’”, como se dizia antigamente.

O dom do entendimento, por sua vez, é a capacidade de perceber a presença do divino nas coisas do dia a dia. Por meio dele, entendemos que tudo faz parte de um plano maior e que nada ocorre por acaso.

3. Sabedoria

São Francisco de Assis (“São Chico” para os íntimos) costumava pedir a Deus “força para mudar o que pode ser mudado; resignação para aceitar o que não pode ser mudado e sabedoria para distinguir uma coisa da outra”.

De fato, nem sempre é fácil tomar a decisão mais acertada, especialmente quando múltiplas alternativas se apresentam. Mesmo que, agraciados com o dom da inteligência, consigamos perceber a presença de Deus em todas as coisas, qual o caminho correto a seguir? Afinal, o mal também está aí para nos testar.

Esse é um trabalho para a sabedoria, aquela voz interior que nos auxilia em momentos de terrível indecisão. Não está necessariamente ligada à inteligência, visto que pessoas menos instruídas às vezes têm uma clareza muito melhor da diferença entre o certo e o errado que outras mentalmente mais capacitadas.

Seria, portanto, a nossa “bússola moral”.

4. Conselho

A sabedoria, por outro lado, nos habilita a exercitar este importante dom: o conselho.

É quando alguém nos procura por confiar em nosso julgamento. Dessa forma, temos a possibilidade de compartilhar os dons do Espírito Santo com os demais, ajudando outras pessoas a caminharem segundo os preceitos sagrados da Bíblia.

Trata-se de um dom e de uma responsabilidade.

5. Fortaleza

Lembra que São Chico pediu a Deus “força para mudar o que pode ser mudado”? O que o santo amigo dos animais estava pedindo, na verdade, era o dom da fortaleza.

A gente sabe que dificuldades e tentações pipocam por aí. Caminhos fáceis, armadilhas, um obstáculo duro de superar. Sem o auxílio do Espírito Santo, fica moleza escorregar e colocar todo o nosso treinamento cristão por água abaixo.

Portanto, conecte o seu espírito ao dom da fortaleza e esteja firme e forte para enfrentar as encrencas do dia a dia, sejam pequenas ou grandes.

6. Piedade

Esse, sem dúvida, é o dom que mais nos aproxima de Cristo, nos faz mais humanos, misericordiosos e, de certa forma, divinos.

Ter compaixão, sentir na própria pele o sofrimento do outro é bem o que nos falta nesses tempos de ódio generalizado e virulência nas redes sociais.

É também dispor de senso de justiça e se colocar a favor das causas certas, enfrentando a opressão. Talvez por isso tudo seja um dom tão difícil de aplicar, já que não é isento de riscos. Nessas horas, faça como São Chico e acione o seu dom da fortaleza.

7. Temor de Deus

Temer a Deus não quer dizer que você deva ter “medo” Dele. Significa, ao contrário, expressar o seu amor a Deus. Sendo assim, devemos não apenas reconhecer a presença divina em nossa vida (como recomenda o dom do entendimento), mas, sobretudo, valorizá-la.

Isso se faz praticando os princípios da caridade, da humildade e evitando ofender a Deus com atitudes equivocadas. Em resumo, viver como manda o velho manual do bom cristão (a Bíblia).

Agora que você já sabe quais são os dons do Espírito Santo, procure aplicá-los em seu dia a dia. Quanto mais ciente e sensível a eles você for, maiores as chances de que intercedam em seu favor, ajudando a conduzir suas escolhas e a levar uma vida mais leve, plena e feliz.

Não poderíamos fechar esse post sem sugerir uma dica complementar: por acaso você já conhece a seção de semijoias religiosas da loja virtual da Linda Bela? Dê uma passadinha lá. Tem cada peça, uma mais linda que a outra!

 


Comentários