Tipos de pérolas: Shell? Água doce? Conheça as variedades.

Tipos de pérolas: Shell? Água doce? Conheça as variedades

Clássicas e atemporais, as pérolas estão presentes na vida das mulheres há anos. Desde a Idade Antiga até os dias atuais, elas são sinônimo de beleza, tradição, elegância e romantismo.

Apesar de hoje já existirem pedras consideradas mais preciosas — graças à tecnologia, que, através do polimento, revelou outras riquezas — a pérola já foi um dos maiores símbolos de status e poder, já que era extremamente difícil encontrá-la.

Se você quer saber mais sobre os tipos de pérolas que existem, acompanhe nosso artigo!

Pra começar, você sabe o que é pérola?

A pérola é uma gema formada dentro das ostras, sempre que se sentem ameaçadas e são invadidas por algum corpo estranho.

No momento da invasão, o molusco libera uma substância branca e brilhante, chamada nácar, que envolve e isola a ameaça. Com o tempo, o intruso preso dentro da bolinha de nácar se tornará a pérola como a conhecemos.

Pérola cultivada e natural

O processo de obtenção pelo método natural ou cultivado é o mesmo, com a diferença de que, na natureza, a ostra faz esse trabalho sozinha.

Já em cativeiro, os criadores introduzem propositalmente o corpo estranho na ostra — no caso, uma madrepérola ou um pedaço de tecido próprio — e esperam até que o trabalho seja concluído, o que leva, no mínimo, três anos.

Entretanto, nem sempre o trabalho sai como o esperado. A pérola pode sair em condições inapropriadas para comercialização — são as chamadas pérolas barrocas.

Pérola de água doce e salgada

Nas águas dos mares, encontramos o molusco que dá origem à pérola de água salgada. Esse tipo de pérola é bem raro e difícil de encontrar. Normalmente essa ostra produz apenas uma única pedra por vez — podendo chegar até duas. Por isso, é mais comum encontrarmos a pérola salgada sendo criada em cativeiro.

Devido à quantidade de pedras que são obtidas por vez através de cada ostra e pelo tempo que elas levam para ficarem prontas, o seu custo acaba sendo bem elevado.

As pérolas de água doce são encontradas em rios, lagos e baías, e também podem ser cultivadas em cativeiro. Além do seu cultivo ser muito mais simples do que as pedras de água salgada, os moluscos que produzem a pérola de água doce podem apresentar até 10 pérolas por vez!

A pérola Shell e a sintética são boas alternativas?

Além das pérolas naturais e cultivadas, é possível contar também com as opções artificiais, que são extremamente mais acessíveis e costumam ser muito bonitas.

As pérolas Shell são imitações perfeitas da gema natural e muito usadas na produção de semijoias. São feitas de porcelana ou resina e cobertas com um pó de madrepérola, podendo chegar a ser até mais bonitas que as próprias pérolas naturais.

Já as sintéticas, possuem o núcleo de plástico —  ou de vidro em alguns casos — coberto por uma camada de tinta e verniz. São peças produzidas com auxílio da tecnologia, por isso possuem um formato redondo perfeito. E por serem mais em conta, são ideais para o uso em semijoias e bijuterias.

A grande vantagem da pérola sintética plástica é que você pode ter várias cores, formatos e tamanhos, podendo fazer uso em diversos modelos de acessórios. Além disso, seu custo-benefício é excelente!

Como vimos, as pérolas são pedras clássicas, adoradas nos quatro cantos do mundo, e que nunca saem de moda. Sejam verdadeiras ou artificiais, esses adornos têm um lugar reservado no guarda roupa e no coração das mulheres.

E aí, gostou de aprender sobre os tipos de pérolas? Então leia nosso post sobre semijoias com cristais e pedras naturais e amplie ainda mais o seu conhecimento!

 


Comentários