Vender semijoias dá dinheiro?

Vender semijoias dá dinheiro?

Vender semijoias pode ser uma excelente opção para quem deseja ganhar um dinheiro extra ou, até mesmo, ter o próprio negócio. Trata-se de um mercado promissor, pois as mulheres, normalmente, são muito vaidosas e não abrem mão de estarem sempre bem arrumadas.

Porém, é comum encontrar revendedoras de semijoias com dúvidas sobre os possíveis ganhos financeiros nesse ramo. Afinal, vender semijoias dá dinheiro?

No geral, o mercado de moda e acessórios é bastante lucrativo. ​Há muitas pessoas, inclusive, que fazem da revenda de semijoias sua principal fonte de renda.

Mas vale ressaltar que, como em qualquer outro negócio, existem casos de revendedoras que não conseguem um lucro satisfatório e acabam desistindo de vender semijoias. Comprar os produtos e sair vendendo sem nenhuma estratégia é o motivo mais comum do fracasso dessas revendedoras.

Para alcançar o sucesso nesse mercado é preciso se preparar e ter atenção em alguns detalhes muito importantes. E, pensando em ajudar as revendedoras no desenvolvimento de um negócio lucrativo, preparamos este post com os passos fundamentais a serem seguidos para ganhar dinheiro (de verdade!) vendendo semijoias. Confira!

Antes de começar a vender semijoias, faça um planejamento

Sem planejamento, dificilmente a revendedora vai ganhar dinheiro. A revenda de semijoias deve ser encarada como a abertura de uma empresa, pois é um negócio como qualquer outro.

Um bom planejamento permite que a revendedora controle seu trabalho para que seus objetivos sejam alcançados. A seguir, veremos os pontos importantes a serem considerados:

1. Conheça as preferências das suas clientes

Quem são essas consumidoras? Qual é a renda de cada uma? Elas costumam comprar muitos acessórios? Preferem uma linha de semijoias clássica ou mais sofisticada?

As respostas para as questões acima devem ser analisadas em conjunto com as tendências da moda (novelas da Rede Globo e blogueiras famosas são ótimas fontes para acompanhar o que está em alta).

Além disso, a idade das clientes deve ser levada em conta, pois cada geração escolhe peças de acordo com seu estilo (que varia de acordo com a faixa etária).

O gosto pessoal da revendedora e as opiniões das amigas sobre a linha de semijoias a ser trabalhada também devem ser considerados.

O conhecimento das preferências das clientes é importante para que a revendedora evite comprar semijoias com baixo potencial de venda, seja porque não combinam com o perfil das consumidoras, seja pelo preço, que pode estar acima do poder aquisitivo delas.

Essa primeira etapa é a mais importante do plano de negócios. Estudar a fundo o público-alvo é fundamental para que, lá na frente, as vendas aconteçam naturalmente.

2. Determine a margem de lucro

Saber determinar uma margem de lucro adequada é pré-requisito obrigatório para quem quer revender semijoias. O retorno financeiro é definido levando em conta a receita com a venda dos produtos e os gastos envolvidos no processo, como o custo das mercadorias e as despesas com deslocamento.

Sendo assim, cada revendedora decide o preço de venda de suas semijoias. E, para alcançar um bom faturamento, as peças devem ter um preço justo, respeitando a capacidade financeira das suas clientes.

A Linda Bela sugere que suas revendedoras multipliquem o preço de aquisição das mercadorias por 2. Se um item custa R$20, recomenda-se revender por R$40, nesse caso. Assim, o lucro bruto será de 50%, o que torna o negócio bastante atrativo e rentável.

Porém, no momento em que a revendedora está escolhendo as semijoias para compor seu mostruário, a seguinte situação pode acontecer:

“Esse brinco é lindo! Minhas clientes vão adorar, mas não vai dar para multiplicar por 2. Vai ficar muito caro. Devo comprar mesmo assim?”

Não é aconselhável adquirir os itens que não podem ser multiplicados por 2. Afinal, ou esse produto será caro demais e ficará encalhado, ou um desconto terá que ser aplicado e o lucro da peça será menor. Quanto mais foco a revendedora tiver em mercadorias lucrativas, mais dinheiro ela vai ganhar.

O que vale nessa hora é o que sobra, e não o valor com o qual se vende. É mais lucrativo fazer uma venda de R$200 e sobrar R$80 do que vender R$300 e sobrar apenas R$50.

Portanto, ter conhecimento sobre margem de lucro é muito importante para a gestão do negócio. Controlar as despesas e anotar todas as vendas das clientes organiza o processo e dá mais clareza sobre a lucratividade do negócio.

3. Acerte na compra, ou seja, compre os produtos certos

A escolha dos fornecedores é muito importante nessa fase, pois, para conseguir os produtos mais adequados, é preciso investir no parceiro correto.

Escolher uma fábrica que tenha semijoias de qualidade e de acordo com o perfil das clientes garante compras certeiras e, ainda, gera uma economia de tempo, pois não há a necessidade de pesquisar sempre por fornecedores diferentes.

Após a escolha do fornecedor de semijoias, a revendedora deve comprar apenas os produtos que vão satisfazer suas potenciais clientes e caber em seus respectivos bolsos.

Se for necessário, recomenda-se retornar ao primeiro passo deste artigo e aprofundar a pesquisa sobre o comportamento das consumidoras em questão. Vale a pena perguntar às clientes sobre os tipos de produtos que elas mais gostariam de usar.

4. Considere datas comemorativas

Datas comemorativas são ótimas aliadas na hora de vender semijoias, já que essas são ótimas ocasiões para presentear. Quem não gosta de ganhar um brinco, um anel ou outro acessório bem bonito?

Revendedoras de sucesso precisam ficar atentas a esses períodos para aumentar seus lucros — principalmente ao Dia das Mães e ao Natal.

A primeira data, por ser voltada somente às mulheres, favorece bastante as vendas das peças em questão. Já no Natal, as pessoas costumam gastar parte do 13º salário com presentes.

Os casos citados acima foram apenas alguns dos exemplos, todas as datas comemorativas devem ser consideradas. E para aproveitar esses dias para vender mais é preciso criar uma estratégia diferenciada para cada ocasião.

Montar conjuntos, oferecer uma embalagem para presente ou um desconto especial para quem for comprar um valor maior, são ações que podem trazer bons resultados. Organizar um bazar com as amigas para divulgar os produtos também é uma boa estratégia de vendas.

Além disso, nesse período, o estoque de produtos precisa ser maior e os homens também devem ser lembrados, pois podem comprar semijoias para a esposa, filha, mãe ou colega de trabalho.

Agora veja como os lucros da venda de semijoias funcionam na prática

Se, em um determinado mês, a revendedora comprar R$1.000 em semijoias e multiplicar tudo por 2, ela terá R$2.000 de valor de venda. Suponha que, nesse período, as despesas com transporte, embalagens e materiais de divulgação ficaram em R$300.

Ao vender todas as peças, o lucro líquido será de R$700. Segue o cálculo abaixo:

R$2.000 (vendas) – R$1.000 (custo dos produtos) – R$300 (despesas) = R$700 (lucro)

Agora, vamos pensar que em maio e dezembro (Dia das Mães e Natal), a revendedora faturou R$5.600 em cada mês. Nos outros 10 meses, o faturamento se manteve em R$2.000 mensais. Veja como seria o lucro em 12 meses:

R$31.200 (vendas) – R$15.600 (custo dos produtos) – R$3.600 (despesas) = R$12.000 (lucro)

Essas vendas dão um lucro anual de R$12.000 (ou R$1.000 por mês) para a revendedora. É uma bela grana extra, não é mesmo?

Portanto, respondendo novamente à pergunta do título deste artigo: vender semijoias dá dinheiro sim!

Perceba que se a profissional se organizar direitinho e trabalhar para cumprir suas metas, pode comprar, com essa renda extra, aparelhos eletrônicos, eletrodomésticos, presentes para os filhos e até mesmo realizar viagens com toda a família!

E se o planejamento não der certo?

A possibilidade de não vender a quantidade planejada deve ser considerada em qualquer empreendimento. Por isso, antes de começar a empreender, é importante fazer uma relação entre o risco e o investimento do negócio.

No casos das revendedoras autônomas, duas grandes vantagens são: o investimento inicial baixo e a ausência de despesas administrativas como aluguel, luz, água e condomínio. Esses gastos “comem” grande parte do lucro dos empresários que possuem lojas físicas de acessórios. Assim, o risco da revendedora “quebrar” é bem menor.

Portanto, se as vendas não estiverem satisfatórias a revendedora pode desistir tranquilamente do negócio e ficar com as mercadorias. Pelo menos não fica aquele sentimento ruim de ter jogado dinheiro fora.

Vender semijoias proporciona benefícios além do dinheiro

Ganhar dinheiro é muito bom, é verdade, mas revender semijoias vai muito além dos lucros financeiros. Há também os benefícios de se envolver em uma atividade que dê prazer — e não há nada melhor do que trabalhar com o que gosta.

Para quem é feliz na profissão, os números são somente consequências de um trabalho bem feito. Afinal de contas, quem se empenha no que gosta se sente mais motivado a trabalhar todos os dias, sem pressa para chegar ao fim do expediente.

Agora que você já sabe que vender semijoias dá dinheiro, clique aqui e veja como se tornar uma revendedora da Linda Bela!


Artigo publicado originalmente em maio de 2016 e atualizado em maio de 2017 pela equipe da Linda Bela.


Comentários